quarta-feira, 30 de setembro de 2009

Antígona


Como te amo?Não sei de quantos modos vários

Eu te adoro, mulheres de olhos azuis e castos;

Amo-te co’o fervor dos meus sentidos gastos;

Amo-te co’o fervor dos meus preitos diários.

É puro o meu amor, como os puros sacrários;

É nobre o meu amor, como os mais nobres fastos;

É grande como os mar’s altíssimos e vastos;

É suave como o odor de lírios solitários.

Amor que rompe enfim os laços crus do ser;

Um tão singelo amor, que aumenta na ventura;

Um amor tão leal que aumenta no sofrer;

Amor de tal feição que se na vida escura

É tão grande e nas mais vis ânsias do viver;

Muito maior será na paz da sepultura!

Fernando Pessoa [junho, 1902].


"Jardim Iluminado"


3 comentários:

Mauro S disse...

Lindo amiga... mui lindo, beijos.

Ricardo Calmon disse...

Fernando Pessoa ,entre heterônimos outros,desde mininu li,meu mestre,na arte da poética,vivo o dia a dia de vida minha, o guardador de rebanhos memorando,entre cachoeiras e mares !

não consigo de maneira nenhuma blog seu acessar (As Dores do Silencio! Buáááááá´)

Bzu mãos suas pessoa amadérrima nossam miga!

Viva a Sua Vida!

Viva Vida!

Vito Coppola disse...

Belle parole...complimenti!!!
Vito

Postar um comentário

 

Designed by Simply Fabulous Blogger Templates